Colônia de Jacobina
Colônia de Jacobina

CAMINHOS DE JACOBINA

O Roteiro Caminhos de Jacobina foi criado com a intenção de auxiliar as pessoas a conhecer mais sobre o episódio dos Mucker e conhecer as belezas naturais do Morro Ferrabraz e o espetáculo proporcionado pelas asas-deltas. O roteiro possui os seguintes pontos:

1) Museu Municipal Adolfo Evaldo Lindemeyer – Localizado na Av.20 de Setembro, 3675. O prédio foi construído para sediar a Estação Ferroviária em 1903. O prédio foi restaurado procurando ser fiel a arquitetura do prédio original. Passou a ser sede do museu em 02 de Outubro de 1996. Em 26/03/2004 recebeu a denominação de Adolfo Evaldo Lindemeyer, um dos membros da Comissão Emancipacionista de Sapiranga, foi Vereador e 1º Presidente da Câmara. Foi uma forma de homenagear uma pessoa que sempre teve como ideais a honestidade, a igualdade, a justiça e o amor, sendo um incansável batalhador das causas sociais. As peças contam a história da colonização alemã e da viação férrea em Sapiranga, contando inclusive com o sino original usado na antiga estação ferroviária, além de um pedaço dos trilhos do trem. Também fazem parte do acervo imagens fotográficas, documentos e livros(em especial os que contam a história da luta durante o movimento Mucker).

2) Estátua de Jacobina Mentz Maurer– Localizada no triângulo formado pela Av. João Corrêa, Rua São Miguel e Rua Ipiranga, na praça denominada Luiz Carlos Prestes. A estátua foi erguida em 2006 como forma de homenagear a líder dos Mucker e representa uma mulher de estatura mediana, com cabelos longos e presos, e com uma expressão bastante séria, usando um vestido longo e de manga comprida, Jacobina é retratada segurando uma Bíblia com as duas mãos. Na base da estátua encontramos um breve perfil biográfico de Jacobina: Filha de imigrantes alemães, Jacobina Mentz Maurer nasceu em Hamburgo Velho, em junho de 1842. Desde criança recebeu forte educação religiosa dos seus pais André Mentz e Maria Elisabeth Muller. Jacobina casou-se com João Jorge Maurer no ano de 1866, fixando residência um anos mais tarde nas terras localizadas ao pé do Morro Ferrabraz(atual campo de pouso das asas-deltas), onde tiveram seis filhos. A partir de 1868 o casal Maurer passou a receber, em sua casa, pessoas que buscavam ajuda. Ao lado do marido João Jorge Maurer, que tratava das pessoas doentes, Jacobina desempenhou seu papel de pregadora das palavras da Bíblia, lida em alemão. Porém, seu papel de orientadora religiosa, despertou a atenção dos moradores e das autoridades, que entenderam suas práticas religiosas como ameaçadores. Como resultado da perseguição ao seu grupo, denominado de Mucker, Jacobina foi morta em 02/08/1874 nas matas do Ferrabraz, no local indicado atualmente pela Cruz de Jacobina.

Túmulo da Batalha do Mucker no Cemitério do Amaral Ribeiro
Túmulo da Batalha do Mucker no Cemitério do Amaral Ribeiro

3) Cemitério Amaral Ribeiro – Localizado na Rua Major Bento Alves. Neste cemitério há o túmulo com um obelisco com o nome de quatro moradores que morreram no conflito contra os Mucker, em 26 de julho de 1874. O túmulo foi a primeira representação construída pela comunidade para homenagear aqueles que haviam dado sua vida no combate aos Mucker. Através da arte funerária e das inscrições nas lápides do século XIX, podemos observar traços culturais e religiosos da comunidade. A tradução da inscrição da lápide é: Aqui descansam os quatro alemães: Theodor Mainhard, Heinrich Hoffmann, Heinrich Linn e Phillip Kirsch, que morreram em 26 de Julho de 1874 no combate contra os Mucker. R.I.P. Lembrança dos moradores da Colônia de São Leopoldo. Jacob Schmitt. Escultor. 

4) Estátua do Coronel Genuíno Sampaio – Localizada junto a sede da Associação Gaúcha de Vôo Livre, no lugar conhecido como Mucker-Eck no passado. A estátua foi erguida por colonos que não tinham habilidades artísticas próximo ao local onde ficava a residência de Jacobina. Em 1874, nesse mesmo local, travaram-se duas batalhas entre os soldados do Coronel Genuíno Sampaio e os integrantes do grupo de Jacobina. A estátua foi construída em 1931 e inaugurado em 1932, mais ou menos na data comemorativa da derrota dos Mucker.

5) Cruz da Jacobina – Localizada na estrada do Carlão, adiante da sede da Associação Gaúcha de Vôo Livre. Neste local Jacobina e alguns do seu grupo se abrigaram para se desviar do confronto com seus perseguidores. Segundo testemunhos da comunidade, por volta de 1910, o colono Miguel Carlos Kauer, conhecedor das imediações do Morro Ferrabraz, teria mostrado onde Jacobina teria sido assassinada. No local identificado, foi colocado uma cruz como foma de representar simbolicamente o local em que a “líder” do movimento foi morta pelas tropas imperiais e locais.


Pedra da Jacobina

6) Pedra Branca da Jacobina – Localizada na estrada que dá acesso ao topo do Morro Ferrabraz. É uma pedra com fenda em grande altura, onde foi construída uma escadaria com 250 degraus. O local possui uma toca que servia para os Mucker observarem do alto as movimentações dos colonos e das tropas do Cel.Genuíno Sampaio.

7) Colônia de Jacobina - Localizada na Picada Schneider – serviu de locação para o filme A Paixão de Jacobina, a propriedade possui uma casa centenária em estilo enxaimel e reprodução dos personagens do filme. O galpão construído pela equipe cinematográfica para representar o templo Mucker e incendiado no final das filmagens, foi mantido em perfeitas condições e ainda com as marcas de fogo. Ao lado da construção, um cemitério cênico completa a atmosfera onde ocorreu o romance. Também há acesso a trilha das Três Quedas que fica no meio da mata nativa, repleta de espécies vegetais, e segue o curso de três quedas d'água, que nascem em Bela Hu. A água cristalina é perfeita para o banho nos dias mais quentes.

Mais informações:

Departamento de Turismo de Sapiranga
E-mail: turismo@sapiranga.rs.gov.br
Fone: (51) 3599-4499  

Fonte:
Secretaria de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul
http://www.setur.rs.gov.br/portal/index.php?q=destino&cod=4&opt=26&id=116&bd=&fg=3